4 de dez de 2010

1ª Visita do Luiz Lemos à Igreja em Peruíbe






Foi com muita alegria que os irmãos em Peruíbe receberam a visita do nosso querido Luiz Lemos (presbítero da igreja em São Vicente), juntamente com outros irmãos. Depois de um momento de louvor a Deus e alguns testemunhos, 0 Luiz falou sobre o caos estabelecido no mundo por causa do pecado e comparou a nossa situação com um sequestro, porém fomos resgatados pelo alto preço do sangue de Jesus. Ele pagou o nosso resgate!

31 de mai de 2010

Não pode ver o Reino de Deus quem não nascer de novo

Temos certeza que nascemos de novo? ou melhor, será que pelo menos sabemos o que é nascer de novo? Jesus disse para um chefe religioso chamado Nicodemos: "... Na verdade te digo, que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus" João 3.3, e logo em seguida explica que nascer de novo é nascer da água e do Espírito. Portanto, nascer de novo = nascer do alto = (nascer da água + nascer do Espírito). Será que temos entendimento do que significa nascer da água e do Espírito? Muitas vezes fazemos sermões e usamos essa frase para tentar converter/convencer as pessoas, mas muitos de nós lamentavelmente ainda não tivemos revelação do que isso significa. Nascer da água é o primeiro passo, tem a ver com o arrependimento (metanóia), com a porta de entrada no reino de Deus, com o Batismo nas águas. Nascer do Espírito, é o presente de Deus, é uma transformação que Deus opera em nós, passamos a ser uma nova criatura, agora criados em Deus e aptos a viver uma vida semelhante a de Jesus: obedientes, submissos, servindo em amor, amando incondicionalmente, proclamando o reino de Deus, não mais sendo escravos do pecado! Então..... se ainda não somos parecidos com Jesus, não fiquemos admirados se ele nos disser: "Todos vocês precisam nascer de novo" João 3.7

25 de abr de 2010

Trabalho da Priscila, Débora e Isabel com as crianças, apresentando a encenação: "Pedro, Tiago, João e o barquinho". Parabéns meninas pela iniciativa.

4 de abr de 2010

1 de abr de 2010

As crianças do projeto tiveram uma nova experiência, conheceram a escola de inglês CNA de Itanhaém e além de aprenderem a contar de zero a dez em inglês, também cantaram "Como Zaqueu" para os professores. No final ganharam um bolo, refrigerante e ainda um kit de páscoa. Agradecemos à direção do CNA pelo convite.

O sentido da Páscoa


Uma palavra especial para você compreender o verdadeiro sentido da Páscoa

Egito, dia 14 de abibe, do ano em que os filhos de Israel foram livres da escravidão. Esse seria um dia decisivo. Dia de regozijo para alguns e desespero para outros.

Naquela noite, o anjo da morte visitaria o Egito e mataria a todos os primogênitos, desde os animais ate o filho de Faraó. Esse seria o castigo de Deus contra o Egito.

Como fariam os israelitas para escapar dessa destruição? Não lhes bastaria serem filhos de Abraão. Não seria suficiente serem pessoas boas e religiosas. O livramento se daria mediante a obediência ao que Deus determinara a Moisés.

Naquela tarde, as famílias dos israelitas deveriam se reunir, e cada uma deveria matar para si um cordeiro. Seu sangue deveria ser passado nos portais das casas. Dentro delas, as famílias comeriam a carne do animal juntamente com ervas amargas.

A terrível noite chegou e, com ela, o anjo destruidor. Por onde ele passava, deixava as famílias em agonia pela perda de seus filhos. Só escaparam da tragédia aquelas casas em cujas portas havia o sangue protetor. Essa foi primeira páscoa.

Páscoa significa "passar por cima", ou seja, o anjo passava por aqueles que estavam protegidos pelo sangue e não os destruía. (Êxodo 12).

Naquela mesma noite, os israelitas saíram do Egito. A partir desse dia, em todos os anos, na mesma data, os israelitas comemoram a páscoa, matando um cordeiro e comendo a sua carne. Essas comemorações eram apenas símbolo da páscoa comemorada por Jesus com seus discípulos, momentos antes da sua morte.

Todos os cordeiros mortos representavam o cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo (João 1.29) e que seria morto em uma páscoa. Paulo escreveu aos Coríntios: "Cristo é a nossa páscoa" (I Cor. 5.7). Sua morte significou o nosso livramento, a nossa salvação. Ninguém poderá se salvar baseado em sua própria justiça ou bondade, mas é o sangue de Jesus, o cordeiro de Deus, que nos salva. Ele morreu para que não morramos espiritualmente, mas tenhamos a vida eterna.

Como vimos, Deus ordenou que os filhos de Israel, os judeus, comemorassem a páscoa todos os anos no mês de abibe, que começa em meados de março e termina em abril. Nós, porém, não somos israelitas, somos gentios, e, portanto, não temos o dever de comemorar anualmente a páscoa, da maneira como eles o faziam.

Nem mesmo os judeus tem esse dever na atualidade, pois após a morte de Jesus, todos os sacrifícios de animais deveriam ser abolidos. "Cristo, queé a nossa páscoa, já foi sacrificado por nós." (I Cor. 5.7).

Atualmente, muitas pessoas pelo mundo afora comemoram a páscoa. Essa comemoração esta repleta de alterações em relação ao sentido original. Em lugar do cordeiro, fazem menção aos coelhos !!! Em lugar das ervas amargas, as pessoas comem chocolate !!! É sempre assim: procuramos algo mais fácil e mais agradável.

Não estamos proibidos de comer chocolate (ainda bem), mas não devemos ignorar o verdadeiro sentido da páscoa. Temos, sim, uma comemoração relacionada a essa festa: a ceia do Senhor. Esta é a nossa páscoa. Não realizada apenas uma vez por ano, mas todas as vezes que comemos o pão e bebemos o vinho em memória da morte do Senhor Jesus.

Estamos assim, a família do Senhor, nos recordamos que éramos escravos no Egito, o mundo, e que Faraó, Satanás, nos mantinha sob o seu domínio. Mas, naquela tarde de páscoa, o Cordeiro de Deus, o primogênito de Deus, morreu em nosso lugar. Regozijemo-nos e alegremo-nos. O anjo da morte não nos alcançará, pois "nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus". Aleluia!


Fonte:: Anísio Renato de Andrade
www.lagoinha.com/igreja/materias.asp?codMateria=1033

16 de fev de 2010

Acampadentro 2010

Dia 16/02 realizamos o primeiro acampadentro de carnaval.  Foram muitas brincadeiras, gincanas, desafios, filmes, café da manhã, almoço e café da tarde. Que Deus abençoe esses pequeninos.